Mensagens

A mostrar mensagens de Abril, 2009

A (não) evitar...

Andava a resistir...e...
A deitar-me sem sentir as pontitas dos dedos...
A enroscar-me que nem um gato dentro da cama...
A afagar-me aos lençóis polares que já voltei a estender...
Mas hoje rendo-me...mesmo que tenha pesadelos com uma nova conta da luz com 3 dígitos antes da vírgula...
Hoje vou ligar o aquecedor...bem no máximo!

E é já!

Voyage

Uma história comovente...

"Cry me a river"

Não resisto a colocar isto aqui...
Acreditamos no sonho com gente como esta...


*pequeníssimo "aparte": é a prova de que o cabelo e as sobrancelhas não são tudo!

Afinal de contas ela é mesmo uma "tigresa" e das grandes!!!

Ao volante

Vou e venho...as viagens são cada vez mais longas. Parece que o percurso vai aumentando ha medida que o tempo passa e que as viagens se multiplicam...Ainda assim, gosto de conduzir...quando não tenho sono, quando gosto de por a música alta.
Na estrada andam tantos outros, outras vidas, com partidas e chegadas, pontos de destino.
No trãnsito, nas filas de espera, na auto-estrada penso muitas vezes quem serão os outros, de onde vêem, para que locais vão, que vidas transportam nos olhares concentradas, nos sorrisos largados ou na expressão de enfado. Cada qual guia a sua vida, com ou mais cuidado, mais depressa ou mais devagar.
No entanto, estas minhas interrogações dissipam-se quando entro na VCI.
De imediato me apercebo que, provavelmente, o Zoo inteirinho de Lisboa, mais o da Maia e quantos outros existirem, circulam nas faixas de rodagem e fazem os possiveis e impossíveis por serem umas autênticas bestas.
É no trânsito que é possível avaliar qual o nível de stress dos cidadãos comuns,e ta…

Sete palmos de Terra

Quando ela chega é sempre pior...aperta-se-nos o coração e ficamos ainda mais pequeninos...pensamos naqueles que gostamos, nos que sofrem, nos que partem e nos que ficam.
Revivemos momentos, passagens, episódios de uma existência que não é perene, que termina num sopro e que nos faz pensar o que acontecerá a partir daí...a sete palmos de terra!
Damos voltas e voltas, mas vem-nos sempre à ideia que a nossa passagem é curta, que mudamos de acto mais rápido do que esperaríamos...
Quando ela vem faz-se acompanhar do medo, da tristeza, da dor...


Descansa em paz!

Hoje...

Hoje apetece-me escrever, mas não esta fácil...
Apetecia-me escrever sobre as pessoas, sobre a amizade, sobre as emoções, os desejos, sobre viagens...
(Oh pá)* desculpem mas não me apetece escrever sobre o Freeport, nem sobre a cimeira do G-20 (ainda sou do tempo do G-8),nem da absolvição do Pinto da Costa, nem de Gestão de Recursos Humanos, nem do desemprego, nem da Páscoa...
Não vou escrever, não vou ler, não vou fazer rigorosamente nada...apenas dormir. A minha vontade e a minha capacidade de o fazer estão divorciadas.
A minha mãe sempre me disse "Quem perde a noite, perde o dia" e é bem verdade...neste caso perdi o dia mas vou ganhar horas de sono.


*Expressão nada bem aceite a seguir ao "Porreiro pá".