Mensagens

A mostrar mensagens de Janeiro, 2010

Bubu

Imagem
Só para dizer que há dois anos escrevi-te isto...
Hoje, não mudaria uma linha...
Foste, deveras, muito importante na minha vida!

A work break

Uma pausa...
Nas intermináveis pesquisas e tentativas falhadas de escrever 5 linhas com ideias coerentes, firmes e precisas.
Uma pausa num trabalho que não tem fim à vista, quando ainda nem saí da introdução.
Uma pausa para relembrar que hoje é domingo, está sol e, invariavelmente como há alguns anos atrás, estou de volta dos livros.
Os domingos sempre foram um mal necessário...Os domingos chatos, da família que nunca se reuniu, dos almoços que nunca se fizeram...
Havia os domingos de verão e esses tinham luz, idas à praia pela manhã e deixar a toalha a marcar o sítio para a tarde...
Domingos de verão, das férias escolares, domingos mais tarde em que seria habitual a ida ao cinema ao final do dia.
Domingos a estudar, a colorir cadernos e a passar vezes sem conta os textos a limpo.
Uma pausa...
Em mais um domingo que sorve o tempo...

Dá-me um abraço

Porque me perco na saudade...
No papel que está colado na parede...
Nas fotografias, nos recortes de palavras...

Porque a soma dos dias não é mais a mesma...
Porque o tempo ganhou outra dimensão...
Porque um abraço vinha mesmo a calhar...


"Dá-me um abraço que seja forte
E me conforte a cada canto
Não digas nada que o nada é tanto
E eu não me importo

Dá-me um abraço fica por perto
Neste aperto tão pouco espaço
Não quero mais nada, só o silêncio
Do teu abraço

Já me perdi sem rumo certo
Já me venci pelo cansaço
E estando longe, estive tão perto
Do teu abraço

Dá-me um abraço que me desperte
E me aperte sem me apertar
Que eu já estou perto abre os teus braços
Quando eu chegar

É nesse abraço que eu descanso
Esse espaço que me sossega
E quando possas dá-me outro abraço
Só um não chega"

(Miguel Gameiro)

Pensamentos na cadeira do dentista...

Penso se algum dia o dentista irá perceber que eu com o aspirador na boca não consigo responder às perguntas que me faz.

Penso que as doses de anestesia deveriam ser a última coisa a poupar, logo a seguir aos toalhetes que nos dão quando já nos estamos a babar como crianças.

Penso que uma broca a trabalhar, combinada com uma dose incompleta de anestesia têm um efeito surpresa muito grande.

Penso que no dia em que não tiver dentes vou pensar no investimento que fiz durante todos estes anos.

Penso que a ciência está para descobrir um micróbio destruidor de dentes...e eu serei a cobaia.

Penso que o dentista não tem noção de que não entendo metade dos termos em que me fala. Para mim só há dois estados: dói ou não dói.

Do citar...

"Mesmo um porco cego numa tempestade encontra uma bolota de vez em quando"

(Anónimo)

Do ser...

"A Saudade é a memória do coração".

(Coelho Neto)

Assim, de repente...

"Sofremos muito com o pouco que nos falta e gozamos pouco o muito que temos".
(William Shakespeare )

Gostamos de complicar, desaproveitar...
Dizemos até que o melhor é o contrário disto tudo, mas "vertemos sempre a água do copo"...

Janeiras

Hoje temos música...
Afinadinhas (e bêbadas) que elas estão...
E sai o bando de saltos altos (mas porque é que o elevador ainda não funciona?)...
Ide e vinde só às 09h00 da amanhã...

"Vamos cantar as janeiras
Vamos cantar as janeiras
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas solteiras

Vamos cantar orvalhadas
Vamos cantar orvalhadas
Por esses quintais adentro vamos
Às raparigas casadas

Vira o vento e muda a sorte
Vira o vento e muda a sorte
Por aqueles olivais perdidos
Foi-se embora o vento norte

Muita neve cai na serra
Muita neve cai na serra
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem tem saudades da terra

Quem tem a candeia acesa
Quem tem a candeia acesa
Rabanadas pão e vinho novo
Matava a fome à pobreza

Já nos cansa esta lonjura
Já nos cansa esta lonjura
Só se lembra dos caminhos velhos
Quem anda à noite à ventura"

Letra e música: Zeca Afonso in Cantares de Andarilho *

**Versão aqui do prédio: só a 1ª quadra.

A ouvir... Canção de Madrugar

Notícias do dia

É deprimente ler os jornais e ver as notícias logo pela manhã...
Tanto pessimismo junto que somos atropelados e o pequeno almoço parece que já nem passa...
Política, corrupção, crise financeira, crise de valores, desemprego, subsídios, rendimentos mínimos...
Valem-nos outras leituras, bem mais bonitas e profundas!

1º dia, pensamentos dispersos, uma música

Hoje é o primeiro dia de uma nova década...2010!
Volveram 10 anos desde que pensei que o mundo fosse acabar e acho que nessa noite também não comi passas porque depositei todas as expectativas num tal de "bug" muito anunciado.
A noite que passou também não comi passas, nem vesti cuecas azul-bébe, não pulei ao som das doze badaladas, não brindei com champanhe, nem dancei até ao amanhecer... Penso que todos estes anos em que à meia noite do último dia do ano nos voltamos para o infinito e cerramos os olhos somos uns pedinchas em desejos, anseios e ambições. Sucesso profissional, pessoal, familiar, saúde, paz, alegria e amor e depois abrimos os olhos e na primeira oportunidade invertemos o rumo.
Passam-se os dias e os anos e às vezes não fazemos metade do que poderíamos fazer para que no final do ano pudessemos sentir que foi um ano com mais momentos bons do que maus.
Nestas coisas a Fortuna também é abelhuda mas a verdade é que os dias, os meses e os anos também são aquilo que qui…