Mensagens

A mostrar mensagens de Setembro, 2008

Cúmulo(s)...

O cúmulo da estupidez e de outras coisas mais: dar importância ao que está escrito no interior das tampinhas de uma certa marca de iogurtes!

E não é que dou por mim a reparar no que saiu desta vez? Por exemplo, "és o meu sorriso", "abriste a tampinha do meu coração"...

Living in the Mountain

Não posso dizer que estou mal...
Não há correrias pela casa, lixo avulso na cozinha, desorganização (apenas a minha), horários desencontrados...
Estou eu, em paz, tranquila...eu mais a Mimi (a coelha), a Meca (a ovelha), o Compi (o coelho) e o Winnie (o urso), uma família inteira de pelúcia.
E mais o meu pequeno Bonsai que estranhou a mudança pois as suas folhas ficam cada vez mais amarelas.
E se na montanha era suposto os ares serem melhores, temo que o pequeno arbustro venha a dar por terminada a sua existência agora que mudei para o pequeno T2.
De resto, espero que em breve não tenha chatices com o gás, mas quando isso acontecer, julgo que não ficarei cá para contar. Os "técnicos" que vieram tratar do assunto foram demasiado "ligeiros" a resolver questões deste tipo, as quais, a haver uma desgraça o resultado seria semelhante ao Marriot Hotel.
Bem...fatalismos à parte considero que merecia, em boa parte, estar no 1º lugar do pódio das limpezas, do sobe e desce de esca…

Não me esqueço

...do significado de subestimar.

Coisas, Tralhas & pequeno T2

Faltam menos de 48h para eu mudar para a "minha" 10ª ou 20ª casa? Residências de estudantes, quartos individuais e duplos, t0 e t1, há para todos os gostos, mas lá virá o dia em que anunciarei aqui (com direito a fotos) a vivenda dos meus sonhos.
Até lá, continuo sem água quente, mas hoje consegui a proeza de reunir a equipa das "energias de Portugal" e fazer com que ligassem, finalmente, a luz. Um simples engano a marcar as teclas de opção no telefone, expus a situação, entenderam como uma reclamação e em menos de 10m estavam dois técnicos a tentarem resolver a questão em simultâneo.
Não há mal que sempre dure, nem bem que nunca acabe.
E quando me parecia que iria ficar com a triologia completa (água, luz e gas), eis que há qualquer avaria naquele mono de esquentador que parece que irá ditar os banhos de água fria no fim de semana. Aproveito e faço tratamento termal que bem preciso.
Entre caixotes, coisas e tralhas verifico mais uma vez que não tenho absolutamente nad…

Aquisições de momento....

Imagem
Depois das aulas de inglês as idas à livraria são uma constante. Umas vezes só a ver os títulos, outras vezes a ler pedaços de algum livro mais técnico, ou então a ver fotos nos livros ou guias de viagens.
É fácil, muito fácil eu comprar um livro.
Não sou nenhuma crítica de arte e normalmente todas essas análises literárias, de autores, estilos e características passam-me ao lado.
Para mim um livro é um livro. Mas é muito mais que um simples objecto.
Gosto de romances ou de outros livros, quanto aos autores não conheço muitos, nem estrangeiros nem portugueses, mas não é este tipo de conhecimento ou de saber que me importa. Não é o saber distinguir um bom livro de um menos bom, uma boa história de outra assim assim...o que gosto é de ler, perder-me página a página e não dar pelo tempo passar.
O que mais me preocupa é que passado algum tempo me esqueço das personagens, das histórias, dos pormenores, dos detalhes, da imaginação dos cenários...tudo isso se perde nos confins da minha memória e,…

Para uma amiga...

Imagem
Não olhes para trás...
Não contes os minutos e as horas desse amor volátil...
Não te percas nesse passado tão vivo, que jão não é mais vosso...
Não chores...
Procura na luz do dia o sol que te faça sorrir, depois desta trovoada que invadiu a tua vida...
Procura a paz que embale noites serenas e dias de força, de luta, de crescimento de uma nova fase da tua vida...
Não desanimes...
Faz dos sonhos o caminho para a libertação da escuridão em que te encontras, em que te perdes dia após dia...
Encontra a força para voltares ao início, para abrires o teu mapa e escolheres um novo caminho...
Não fiques na penumbra, na mordaça de sentimentos confusos...
Age, acredita, vive!
Não te culpes, não o culpes...
Abre uma nova página, escolhe um novo disco, concentra-te em algo de novo...
Não te feches num mundo de lembranças, organiza esses bocadinhos e faz deles uma parte de ti...boa ou má, aceita-a assim...
Não temas o que virá porque cada obstáculo é um troféu, é uma paragem que se alcança numa longa caminhada,…

Adenda

Era uma pequenina adenda aquilo que eu poria nos painéis de informação das auto-estradas.
A juntar à mensagem "piso molhado, aumente a distância de segurança ou modere a velocidade", eu acrescentaria assim: com chuva, o piso que já é uma porcaria, fica pior ainda, permitindo uma acumulação excessiva de água, fazendo com que conduzam sob uma densa nuvem de neblina. Com chuva e com a visibilidade reduzida a 5% façam fisgas para não cairem em algum buraco, entretanto, aumentado em tamanho e largura devido às chuvas intensas. E tenham uma boa viagem, porque nas portagens pagam o mesmo".

Afinal...

Imagem
Depois de quase 2h às voltas por ruelas, avenidas, algum descuido nos semáforos, muita atenção às indicações e de seguir estupidamente o meu instinto "de (des)orientação" quase sempre trocado, cheguei onde deveria ter chegado em pouco mais de 15m.
Confirmei mais uma vez que conduzir numa cidade onde a confusão é maior do que o habitual é um verdadeiro pesadelo para mim. E sempre que solicitava indicações perguntavam todos o mesmo: "Conhece bem o Porto?" Bem, se eu conhecesse certamente não pararia o trânsito de uma rua para fazer a pergunta.
Não bastava ter deixado os itinerários em casa, e mais ainda, todas as indicações dadas me pareciam tremendamente confusas.
Já com uma pitadinha de fúria a surgir, lembrei-me do quanto ironizei quando surgiu a febre dos GPS´s, do quanto se procurava esse brinquedo falante, chegando mesmo a ver, pelo menos "um papa-reformas" com o tão publicitado "Tom-Tom".
Pois hoje estive capaz de reconhecer todas as vantagens…

Tochas - A maior tournée de todos os tempos

Imagem
***Espaço de publicidade devidamente autorizado pelo autor.

ESPECTÁCULO A NÂO PERDER!!!!!!!

Pedro Tochas vai apresentar o seu espectáculo "Já tenho idade para ter juízo" de Norte a sul de Portugal naquela que será a sua maior Tournée de todos os tempos.

Não percas aquele que já foi considerado o seu melhor espectáculo de sempre,

Espectáculo a não perder para quem gosta de boa comédia... quem gosta de má comédia também pode ir.

Os bilhetes já estão à venda!!!


FRIZE Apresenta
PEDRO TOCHAS - Já tenho idade para ter juízo
TOUR 2008

2, 3 e 4 de Outubro PORTO Teatro do Campo Alegre

7 de Outubro COIMBRA Teatro Académico de Gil Vicente

17 de Outubro LOULÉ Pavilhão Desportivo Municipal

18 de Outubro MONTIJO Cine-Teatro Joaquim d' Almeida

25 de Outubro SANTA MARIA DA FEIRA Cine-Teatro António Lamoso

31 de Outubro VILA REAL Teatro de Vila Real

6 de Novembro LEIRIA Teatro José Lúcio da Silva

7 de Novembro PORTALEGRE CAE…

Triagem Manchester

Vim encantada do Hsopital...
Aparentemente um LCD gigante com informação a passar, uma triagem a funcionar por cores consoante o grau de emergência e de urgência do paciente, uma pulseirinha na mão com os nossos dados e com a cor respectiva, seriam suficientes para que tudo corresse bem e de forma organizada...mas não...
A confusão é mais que muita, a recepcionista não atende o telefone e é mais um ruído que se mantém, os médicos não estão a atender porque segundo as vozes do "motim quase organizado" garantem que estão hà duas horas à espera e tem a cor amarela, de carácter urgente e no LCD a informação que passa mantém-se na mesma desde que chegaram "faltam 2 minutos para ser atendido"...entretanto já lá vai uma hora e a Triagem de Manchester pelos vistos não funciona...
Há um senhor mais velho que se queixa...o médico deu-o como morto, ameaça entrar pela porta e...nem vale a pena dizer o resto...
As pessoas ficam por ali com as pulseiras, não têm ar de quem vai a uma…

Ainda sobre..."Aquele meu querido mês de Agosto"

A música do Marante é inconfundível...
As ruralidades mais que muitas, mas mesmo assim as que vivo de perto parecem mais "softs" que aquelas que vi no filme...
Há ali uma pitada de exagero...
Neste tipo de filmes não gosto por nada das cenas de movimento...enjoam-me porque é como se estivessemos na 1ª fila do cinema a ver um filme em 3D...
Os grupos de baile eram muito xoxos para o habitual...para os meus lados dança-se enquanto se canta e veste-se roupa pirosa,muito pirosa...
Temos muitos "Paulos" na sociedade, às vezes gostaríamos de ser um deles, saltar da ponte de vez em quando, beber umas bejecas e faltar ao trabalho às segundas-feiras e ainda assim exigirmos mil euros de ordenado...
As romarias são assim mesmo...com a desafinação da banda, e mais ainda com marchas de compositor conhecido, é tão fácil reconhecê-las e mais difícil compreender como elas vão parar a uma Banda com um nome muito esquisito que toca nas Festas de S.Paio de Gramaços...
As idas ao rio ainda s…

Tai Chi

"Imaginem que estão perto de um lago imenso, um lago enorme onde a água reflecte milhares de raios de sol, coloridos, vivos, brilhantes, todos diferentes. Imaginem um lugar destes, um lugar mágico, onde tudo é brilhante, onde tudo é perfeito".

A música perfeita, um ponto de equilíbrio no nosso corpo, a concentração, o deixar o nosso corpo e voar para longe...seria mais ou menos este o objectivo.
Mas porque é que eu perante este cenário e mediante este exercício, só consigo pensar no jantar e na fome horrível com que me encontre nesse momento? Porque é que a imagem do lago não se sobrepõe à de um prato de arroz, com frango de churrasco e uma saladinha a acompanhar?
Com imagens destas não há Tai Chi que aguente...

Noite

A noite está linda. O luar desvenda os contornos dos montes e antevê a lua cheia na próxima semana. É pena estar frio, daria para ficar por aí algures a olhar o céu, o nada, o escuro da noite.
Não tenho sono, apenas uma dor de dentes fruto de uma tarde no dentista no combate às cáries. Porque temos cáries se lavamos os dentes todos os dias? Para que servem, afinal, as escovas e os dentífricos xpto se temos na mesma estas porcarias na boca?
Para trás ficou o arraial, o barulho ensurdecedor dos bombos, dos zés pereiras, sempre a rufar, com ritmos repetitivos e com a força de quem gosta do que faz. Ficou o fogo de artifício, os arcos iluminados, a igreja colorida, o vaivém das pessoas, as senhoras a vender doces e tremoços, as pistas, os carróceis, os tascos e as tasquinhas, a banda a passar, os aplausos, o concerto no palco,o barulho, as conversas, tudo quanto caracteriza as festas, os arraiais do Minho.
Ainda quero ver se no "Meu Querido mês de Agosto" o retrato será parecido c…

Dor de cabeça...

Lembro-me do cheiro do edifício como se ainda agora estivesse lá. Era uma mistura de álcool com outros solventes ou medicamentos que pairava nos corredores, em cada sala, em cada recanto daquele edifício. Ir ao centro de saúde era sempre um sacrifício e nunca percebi porque existiam todos aqueles posters de crianças sorridentes afixados nas paredes. Sentia-me insegura e nunca me explicavam o quanto era importante ir ao médico.
Lembro-me da única vez em que gostei de ir ao médico e julgo que ainda fosse criança de colo. Nesse dia trouxe um peluche fofinho, para além da habitual espátula de madeira e um saco cheio de pomadinhas e cremes. É por isso que ainda hoje gosto do cheiro dos produtos da "Mustella" porque recordo esse dia, o dia em que o esforço de ir ao médico foi compensado com alguma coisa agradável.
Ainda hoje não gosto de ir ao médico, detesto hospitais e adio o mais que posso as idas às consultas.
Trago uma dor de cabeça pouco habitual mas a vontade de fazer exames, …

E tú qué has hecho?

O tecto continua ali, a música dilui os ruídos que me são estranhos...vejo que depois do verão o pouco bronzeado que se ganha perde-se e apesar do silêncio dos políticos (segundo a TV), há quem volte à vida normal...
à vida tão normal quanto aquela que dizia, outrora, que seria diferente depois das férias, depois de carregar as baterias,das passeatas, do "dolce fare niente", das festas...
Eu como sou uma pessoa complicada e daquelas que se insere algures num quadro comum patológico arrojado e com um nome pomposo, gasto os últimos dias das férias preocupada com o regresso, como se este mais não fosse que apanhar a A1 ou a A29, estabelecer-me por Águeda e trabalhar, ou seja, fazer o que qualquer pessoa normal faz...menos aqueles que vão para ilhas paradisíacas ou até mesmo para o Algarve, não viram a conta bancária descer durante o mês de Agosto, mesmo que tenham comido marisco todos os dias. Menos para esses e para parvos como eu.
Chego à conclusão que devem ser poucas as pesso…