Mensagens

A mostrar mensagens de Dezembro, 2009

Estranha forma de vida

Oiço conversas que me são estranhas...
Sinto falta de outras Palavras...
Quero sorrir por dentro e por fora...
Quero voar daqui...
Para onde quer que seja!

White Night

Não sei se vá correr e subir o monte, se emite as acrobacias do circo aqui na cozinha ou se beba um copo de champanhe com um Valdispert.
Indecisa mas consciente de que cá em casa o dia de Natal é um dia normal que tem apenas mais comida na mesa.
E não hajam dúvidas que o melhor presente somos nós, com o que sentimos cá dentro e estando bem perto de quem queremos bem, de quem amamos, de quem estimamos.
Enquanto escrevinho estas letras dissolvo a solidão em bombons deliciosos, figos secos e tragos de champanhe amarga.


Enquanto isso dormes apoiada, com a tua mão no queixo. Dormes embalada pelo cansaço e desiludida porque hoje não dão as tuas novelas.
Estou aqui tão perto...estamos e não estamos e daqui a pouco vais dormir.
Quando tentas reanimar as forças interpelas-me com conversas soltas e hoje já nos rimos bastante.
Deixo-te dormir...

"Driving home..."

"Driving home for Christmas"...
Dizem que é a melhor música de Natal de todos os tempos...
Há muitas...
E por falar em Natal apetece-me dizer que ano, após ano não muda nadinha...os telemóveis entram em colapso com tanta sms, no email recebem-se dezenas de mails fofinhos com pinheirinhos, bolinhas, pais Natal, estrelinhas e mensagens que nunca chegamos a ler porque dizem todas a mesma coisa.
E depois há aquela tendência de desejarmos Bom Ano Novo para todos quando, na verdade, ainda faltam uns pares de dias para entrarmos no novo ano e depois, para além disso, temos 365 dias para desejarmos "Bom ano". Ou seja, se todos os dias dissermos "Bom dia" e fizermos com que os dias sejam realmente bons iremos ter, de certeza, um Bom Ano.


Resta a certeza que o Natal se quer feliz e os anos que passam carregadinhos de sonhos...
Sonhos que vão oferecendo momentos de realidade.

"Vão sem mim..."

Por estes dias, no trabalho, dá vontade de cantarolar o "vão sem mim que eu vou lá ter".
Mas reconheço que, embora nem sempre seja possível desenvolver o trabalho ou as actividades que desejamos, tenho a obrigação de erguer a bandeira do positivismo e do optimismo.
Embora nem tudo seja como gostaria posso sempre colocar um smile na porta e escrever "ofereço positivimo". O pior é que não seria suficiente...deveria constar a coragem, a simpatia, a honestidade, a confiança, o saber, o interesse, a camaradagem, o espírito de equipa, o bom senso, o sentido de responsabilidade, a preserverança, a assertividade, a liderança...Deveria poder oferecer tudo isto e muito mais nas doses (industriais) que tantas vezes são precisas.

Há alguns dias em que custa arrancar para "ir lá ter"...

O Natal...dentro dos corações

"20 mil estandartes com o menino Jesus nas janelas, varandas ou portas?"
"Estandartes bonitos, de cor grená e com um menino Jesus Barroco?"
"Plataforma Estandartes de Natal 2009"?*

Volta Scolari, estás perdoado...

Que o Pai Natal e as suas renas se apoderaram das decorações natalícias é uma verdade, agora querer "abafar" esta tendência com estandartes com a figura do menino Jesus indefeso não me parece que devolva o verdadeiro sentido cristão ao Natal.
Até porque o Natal é vivido dentro de nós, mesmo quando não temos árvore de Natal ou presépio, ou somos cristão ou ateus.
Se queremos partilhar o Natal com os amigos e com a família não são as luzes a piscar nas nossas casas que o vão permitir, não é o Pai Natal de plástico a subir a chaminé que vai levar até aos outros o calor desta quadra e o quanto queremos que todos estejam bem na vivência do Natal.
E não é um pedaço de pano que faz a diferença...pelo menos para mim!

*post com algum fundamentalismo s…

Dias de Suspensão

Imagem
Em que acordamos embalados pela energia de quem nos faz sentir uma manhã diferente. E saimos de casa, corremos, andamos, sentimos o frio, o vento, subimos e descemos ruas, vemos gentes, perdemo-nos em vielas e, já com o cansaço no corpo, regressamos.
E depois...
É uma enorme suspensão...









Songs of freedom

Porque a liberdade também está na nossa alma...
Porque é bom sermos os nossos próprios sentimentos, as nossas emoções, as revoltas, as alegrias, as tristezas e as desilusões...

Happiness

Why don't you stay
I feel lucky today
Give me a chance
and I'll show you the way

I know some day you'll be mine
you will know too
it's a matter of time

Oh! Let me hold your hand
Please, let your heart beat again

You know I daydream of you
I'm so in love
it's too good to be true

You make me smile
as I look into your eyes
My heart is full
like my very first time

It's like I was born again
I just can't say
how happy I am

Oh! let me hold your hand
Please, let your heart beat again

(Rodrigo Leão)

A ouvir...

Por estes dias...

Duas semanas, dois feriados...
A pensar nas compras de Natal...nas minhas e nas dos outros.
A ouvir incessantemente "Crazy love" by Michael Bublé...piroso? talvez, mas gosto da versão do "cry me a river", "georgia on my mind" e..."all i do is dream of you"...Ever, ever...
A escrevinhar as primeiras linhas...
A fazer pesquisas que nunca mais acabam...
A prosseguir, ou não...
A música leva-me para longe...
Já corri as ruas hoje, já vi a vida das pessoas, as cafetarias cheias, as conversas na rua...
Já pensei nas verdades e nas mentiras...nas desculpas e nos erros...
Já corri e parei de exaustão...

Some kind of live, of me...
Following you...

Chuva

Choveu o dia inteiro...
A única saída que me foi possível (e por obrigação) foi para ir levar o lixo e ir ao multibanco, mas estivesse tempo para eu despir o pijama e as pantufas e seria a desgraça.
Durante a tarde, para além de pensar no que hoje me faz, cada vez mais, dar sentido ao "de corpo e alma" pensei no quanto seria saboroso comer umas crepes com Nutella. Ainda bem que não haviam ovos suficientes, nem nutella, nem nada que pudesse resultar em tal manjar.
Mas consigo até sentir-lhes o cheiro...
Será do síndrome de fim de semana?

Da janela

Está um temporal lá fora. Dia cinzento, muito vento e chuva. E apenas isto atrasa a minha saída.
Procurava aqui o "alívio rápido e eficaz da dor" e alguma energia para começar o dia mas as novidades foram poucas ou nenhumas.
Vejo os pombos no cimo do espigueiro e há um manto de névoa a cobrir o cimo da encosta do monte.
É o que se vê da janela e da minha preguiça de espreitar lá fora.
Acho que dormia o dia inteiro só para não sentir as horas a passar e as dores de dentes que fizeram da minha noite um verdadeiro serão.

Do Profundo...

Dissonâncias...
Encontro-as mas a qualquer momento viram pontes...