Testes de Aferição

Começou hoje o julgamento do Ex-cabo da GNR acusado do homicídio de 3 jovens de Santa Comba Dão. E nestas alturas surgem peritos de todas as áreas que omitem opiniões diversas.
Pois bem, qual não é o meu espanto que numa dessas intervenções alguém deita por terra mais um dos meus "velhos paradigmas" (o de que as aulas de MAP me serviriam para alguma coisa).
Numa breve reportagem da RTP à porta do Tribunal da Figueira da Foz um "perito" da Universidade de Aveiro, Psicólogo de profissão, Carlos (julgo eu) Fernandes de nome, afirma que os testes de "Avaliação Psicológica" aos quais o Ex-Cabo foi submetido para avaliar a sua capacidade para responder pelos crimes que supostamente terá cometido, não tinham qualquer carácter científico. Mais afirmou que a aferição dos tais testes teria sido feita a partir de uma população de Leiria, o que põe em dúvida diz o Sr. Psicólogo se estaria adaptado para ser aplicado ao Ex-Cabo. Bem...eu já fico contente que tenham utilizado um teste aferido para a população portuguesa (da maneira que isto anda "sem rei nem roque" nunca se sabe o que pode acontecer). Mas por outro lado, penso: será que este Psicólogo queria que fosse elaborado um teste "especial" para este suspeito de crime? Ou melhor,que Psicólogos e demais técnicos da área Forense rumassem até Santa Comba Dão e elaborassem um estudo rigoroso das características das gentes daquela terra (em tempo record, claro) para mais tarde se definir um teste para este o suposto criminoso?
Siceramente fiquei confusa e se alguém de Psicologia por aqui passar e ler isto por favor façam-me um desenho para eu perceber!
Quer dizer, na faculdade esfalfei-me para fazer a cadeira de MAP (métodos de avaliação psicológica), ouvi falar de testes de avaliação, testes de aferição, estudos e mais estudos, normas e mais normas, imaginem só que me inscrevi na melhoria da cadeira ( e consegui melhorar de 10 para 11) :), gastei rios de dinheiro em fotocópias e, no final, e passados estes anos vêm dizer isto?
Então afinal para que servem os testes de aferição?
Melhor...eu acho que vou pôr em causa os testes aos quais este Ex-CABO da GNR foi submetido, no passado, aquando da sua entrada para esta Guarda Nacional.
Mas acreditem que não é preciso sermos submetidos a testes, para percebermos que este suspeito tem uma forte capacidade para a contradição, e um exemplo disso foram algumas declarações na reportagem exclusiva à RTP. Não sei se ouvi mal mas pareceu-me que o Sr, primeiro terá sido ameaçado com uma arma apontada à barriga mas depois já foi na cabeça. Acho´que só por isso "chumbava" no teste.

Comentários