Chego

Chego, sento-me e escrevo...
O café é agradável e dos mais calmos no centro da cidade. Gosto da cor laranja na parede, dos pequenos pormenores do atendimento e faz-me lembrar as tardes livres do liceu, passadas com as amigas.
Escrevo enquanto aguardo pela torrada e pelo galão quentinho. Tenho 20 minutos, para jantar, para dar uma vista de olhos no jornal e para repousar da viagem atribulada. Sei que um dia pagarei uma factura demasiado elevada por andar a acelerar na estrada, mas o tempo não espera e sempre gostei de chegar a horas. Hoje, por exemplo, confirmei que o meu carro precisa de umas pastilhas novas nos travões e que anda lindamente em duas rodas...nada mau, ou melhor, muito mau e muita sorte! Adiante...
Há um leve cheiro a francesinha, o que me diz que o meu estômago vai sair contrariado e insatisfeito com a torrada, mas terá de ser. Aliás, tivesse vindo a 200km/h e podia ter ido a casa, tomava um banho e ia para a reunião. Impossível...
A reunião é, imagine-se, da catequese...catequese da adolescÊncia...e se me identificasse com muito do que se discute nestas reuniões a nível concelhio ficaria muito mais entusiasmada. Mas será que ainda ninguém se percebeu que hoje ser Cristão não tem o mesmo significado que outrora? E que fé têm os miúdos, nós mesmos, a sociedade? Religião, valores, ideais...vinham 30 torradas e eu não saía daqui a escrever. Mas não...encaro isto à minha maneira, participo na catequese sabendo que estou inserida numa comunidade mas tentando inovar, (ou não). Ou será que alguém pensa que consegue "prender" adolescentes numa sala a relatar travessias no deserto e parábolas interessantes? Na...primeiro Crede e só depois aumentai a vossa fé!!
Mas doutrinas à parte, a torrada tem bom aspecto e não traz muita manteiga, tal como eu gosto!
Na primeira dentada lembro-me que amanha há muito para fazer...e bem programado o sábado, não vou conseguir fazer tudo o que queria e volto a não ter tempo para mim, um bocadinho que seja. E no domingo será a mesma história...mas ainda bem que assim é...porque muito tempo parada, faz-me lembrar a frase que me mói o coração há semanas:"Já reparaste que estás sozinha, que estás sempre sozinha?" "e não acredito que te apoies na tua família...". Poderia não ter dado importância, aliás, pensei que não a tinha dado, mas as palavras ficaram comigo. Ditas assim, num contexto de café, em que sou interpelada num "olá, por aqui?" e com 2 dedos de conversa... sempre pensei que os danos fossem menores. Psicologia barata, digo-vos eu! É que bem vistas as coisas, passo a semana e o fim de semana sozinha...sim porque a solidão ganha forma dentro de nós, mesmo tendo muitas pessoas à volta.
O galão está mesmo quentinho, mas entre olhares pelo jornal, espreitadelas pela vidraça e rabiscos no caderno, lá se foram os 20 minutos.
E chego...sento-me...vistos os presentes na reunião, sou, seguramente a mais jovem. Ui...isto vai ser animado!

Comentários

  1. Não estás sempre sozinha, mesmo quando olhamos em redor e não vemos ninguém há sempre alguém a pensar em nós :)
    Quanto ao carro, já reparei que tens tendências de acelerar... pelo que vais sempre no lugar do passageiro para o bem de todos :D
    Catequese só vejo os putos lá metidos se aquilo for um género de educação cívica ensinada de forma lúdica...Truque: cativas as adolescentes que os "marmanjos" aparecem logo :D
    Beijoca.

    ResponderEliminar
  2. Bom, o problema do carro eu posso resolver, não, não sou mecânico...o resto já tu estás farta de me ouvir. Agora quanto ao estar sózinha, pois amiga essa parte é dura. Mas só te posso dizer que tens amigos, mesmo sabendo eu que não é esse tipo de companhia que falas. Quem espera sempre alcança e tu vais conseguir porque mereces ser muito feliz.

    ResponderEliminar
  3. Litos:
    O truque da catequese é mesmo a "tua cara" :)
    Obrigada.

    Paulo:
    Por acaso falo de amigos, de família e quiça de namorado...mas esse é, talvez, o que menos me preocupa. Não basta termos, no sentido de ter, e sabes bem disso!
    A companhia de que falo é qualquer uma destas, companhia que nos encha a alma e nos aconchegue o coração.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Ao estilo da Nela :)

    Paulo:
    Vamos roubar o carro à moça e por aquilo em condições... daqui a pouco ainda se espeta...

    Nela:
    Lá estás tu a julgar-me por preconceitos...

    ResponderEliminar
  5. Pois...tenho que concordar contigo Lito. Vamos Tratar disso. Nela toma cuidado com as chaves.Ó Nelinha isto parece um consultório de psicanalise.Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Paulinho, Psicanálise sem divã não é Psicanálise :)
    Mas voçes até têm jeito para terapeutas!! :)

    ResponderEliminar
  7. Ás vezes não basta ter companhia!
    Também eu me sinto um pouco vazia...
    Mas para isso servem as palavras.
    Linhas soltas um pouco envergonhadas...

    Sinto falta da tua companhia
    Mas sei que estaremos juntas qq dia
    E o vazio que na alma sentimos
    Será preenchido por bons momentos :)

    Bjokas

    ResponderEliminar

Enviar um comentário