De volta...

Estou de volta.
À simplicidade da minha casa.
Ao habitual.
Mas nem tudo está igual.
A minha irmã está mais perto. Casa nova.
Gostava de ter a minha.
Aliás, preciso.
O monte que se vê cá de casa já não é verde.
Ardeu. Fogo de artifício nos festejos.
Como pode ser?
Já só penso no início da semana.
Terei embarcado comigo a energia, a paciência, a sabedoria, a firmeza, a objectividade e tantas coisas mais que me serão necessárias nos próximos tempos?


Trouxe comigo o "Diário de Viagem"...é da praxe. Diz o seguinte:

"Vivem em nove belas ilhas no meio do Oceano Atlântico.
Dizem ser o centro do Mundo, os últimos picos da Atlândida - o continente perdido, a terra de Neptuno.
Falam de forma diferente.
Cozinham a comida em buracos na terra, com o calor dos vulcões.
Fazem jogos com touros e perdem quase sempre.
Nadam com golfinhos. Mergulham com baleias que antes caçavam em pequenos barcos e depois gravavam-lhes os dentes.
Há 500 anos que resistem a tremores de terra, a tempestades com ventos de 250 km por hora, a ondas do mar com 20 metros.
Pescam os maiores peixes do Mundo - espadartes e atuns.
Dividem os terrenos com flores, principalmente hortênsias.
Criam vacas e chamam-nas pelo nome próprio.
Comem comida temperada com especiarias vindas das Índias, Áfricas e Américas.
Festejam o "Espírito Santo" que dizem ser o seu "Senhor".
Usam uma ave - Milhafre - como seu símbolo mas chamam-se AÇORIANOS.
São uns estranhos e simpáticos loucos!"


A este pequeno Diário do Peter Café Sport eu acrescentaria:

Confundem Carnaval com Passagem de Ano e atiram bombas e pequenos explosivos. Não são calculáveis os décibeis com que falam, passam dias a olhar para o mar e dizem que vir trabalhar para o continente é uma realidade completamente diferente.

Até à Próxima.

Comentários

  1. Que grandes férias! Bom Ano Novo!
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  2. Podes crer que foram!
    Bom Início de Ano...vamo-nos "vendo" ao longo destes 366 dias.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  3. Gostei da descrição, aguçou-me o apetite para lá ir!
    De qualquer forma, estou mais contente com o seu regresso, well came home!

    Tudo de bom,

    António Cândido

    ResponderEliminar
  4. "weel come" nã ficava bem... com a conversa das furnas...

    ResponderEliminar
  5. Gostei do relato... mas continuo a dizer que as Ilhas são um destino para quando calçar as pantufas :) hehe (se é que me percebes :p)
    Bjokas

    ResponderEliminar
  6. Este pequeno "relato" foi extraído de um postal intitulado "Diário de Viagem", originalmente criado no Peter Café, no Faial. Mas uma vez que descreve tão bem as gentes dos Açores rapidamente foi editado em forma de postal.
    Flávia quer-me parecer que essa ideia das pantufas é quando estás no sofá a sonhar assim como eu faço muitas vezes com as peúgas verdes? Ou é a expressão para dizeres quando te reformares e deixares a vida activa de arqueóloga? Hum...
    Beijinhos

    ResponderEliminar

Enviar um comentário