Nada...

Nada como cair (uma vez mais) na realidade de que se é muito estúpida, para não dizer burra a 100%, em pensar que os computadores acabadinhos de comprar vêm munidos dos programas necessários com os quais se pensa trabalhar, sem problemas de maior e sem estar dependente da ideia que se vai ter que violar um qualquer artigo do código civil e arranjar as coisas à velha maneira dos portugas....à socapa, pois claro!
Não sei onde possa ter ido buscar esta ideia tão cor-de-rosa, e nem pensar um minuto que fosse, que o Bill Gates foi concebido para roubar as pessoas, mesmo que essas pessoas se encontrem algures num recanto perdido de um país qualquer, no doce fingimento de entre não saber bem o que é um sistema operativo e para que serve uma boa parte das funcionalidades daquilo a que algum iluminado decidiu chamar notebook.
Nada como pensar que atrás do pc virá a impressora, porque o que é velho não se dá com o que é novo.
Nada como agradecer a quem logo pela manhã ouviu a minha voz mal humorada, como se o mundo fosse ruir, como se não ouvessem coisas bem mais importantes do que uma qualquer versão de sistema informático.

Comentários