Para 2009...

2009 aproxima-se velozmente e 2008 despede-se apressado, a uma velocidade só possível de definir como rápida porque estou de férias, porque sabe bem deitar e levantar tarde, porque tenho trabalhos para a faculdade que não terminei...melhor que não iniciei.
Se estivesse no ambiente frio da minha habitual residência, ora abandonada, se estivesse no dia-a-dia da rotina, os dias seriam um arrastão de monotonia, de falta de paciência, de tristeza, de solidão mórbida...e 2009 ainda me pareceria muuuiiito longe!
Chega o ano novo e é hora de balanço, de analisarmos os prós e os contras, de projectarmos mais um ano. Mas eu não projecto nada, porque afinal de contas as coisas acontecem por si e tudo não passa de uma adenda ao que idealizamos no início do ano. Senão vejamos...

1.Desejei saúde e 2008 foi um "picar o ponto" no dentista. Entre cáries, desvitalizações, sisos retirados, deus me livre se faço as contas às vezes que me estiquei na cadeira da tortura, às vezes que implorei para que a anestesia funcionasse, às vezes que sofri com dores, às vezes que amontoei os recibos das consultas tendo a fé de reaver algo em devolução de IRS. Para enfeitar ainda mais este desejo, descubro uma tal "psoríase informe" que não sendo nada de alarmante me exige sempre cerca de uns 20m a passar cremes pelo corpo, a untar-me em porcarias sempre que as "manchinhas" decidem aparecer e dar um toque diferente nos braços e pernas. Mais.... ainda está por descobrir a fórmula que exclui as borbulhas aos 26 anos de idade. Os médicos que consulto não a têm ainda. Podem considerar isto na vertente da estética, mas não...pensem no que pode afectar emocionalmente através da auto-estima e observem que daqui, ainda posso obter um lindo problema psicológico. Portanto, para 2009 desejo saúde, mas também será melhor decidir-me, de uma vez por todas, a aconselhar-me acerca da subscrição de um seguro de saúde.

2. Desejei paz à minha volta, na minha família, no trabalho, com os amigos...percebi que afinal de contas é difícil os milagres acontecerem, os últimos foram em Fátima e não se prevêm repetições. Se por diversas razões é impossível ter paz em meios tão pequenos, nem vale a pena pedir o mesmo para o mundo. Problemas em grande escala são terríveis. Não posso dizer que na minha vida haja alguma "Faixa de Gaza", mas muita coisa teria que mudar e não vejo melhorias possíveis. Por isso, para 2009 a paz fica fora dos meus pedidos. Mesmo não tendo a paz suficiente vou pedir que nunca seja preciso recorrer aos serviços de mediação, porque tudo o que ouço falar deles é mau.

3.Desejei ser feliz. Fui uma desmedida neste desejo, porque como ele é tão imenso e abarca tantas dimesões acho que a felicidade se inibiu demasiadas vezes nas mais variadas valências. E ser feliz no meu interior, cá dentro? Renovo este desejo para 2009 e aproveito e sou um pouco mais ambiciosa e replico o desejo para todas as pessoas de quem eu gosto. Calma, pode parecer que não, mas a lista ainda é grande!

4.Desejei sucesso profissional, algumas mudanças se possível, e muita aprendizagem....e devia ter pedido o anti derrapante em vez disto. Até sou esforçada, se calhar não o suficiente, mas cada vez mais compreendo aquilo que estudei nos livros: quanto mais responsabilidades, maior a insatisfação. Quanto à mudança, algumas tentativas falhadas mas não desperdiço as oportunidades de aprendizagem. Para o novo ano, desejo conseguir trabalho num banco porque sei que nunca irá fechar e terá sempre o apoio do estado. Trabalhar numa fábrica já é mais complicado. Um bocadinho mais a sério, espero não desenvolver nenhuma fobia à palavra "crise" e no pior dos cenários que consiga pelo menos o essecial para sobreviver.

5. Para 2008 desejei fazer uma dieta. Neste ponto deveria ser possivel incluir uma gargalhada sonora. Eu bem tentei, mas é complicado quando se tem um estômago com uma personalidade muito forte. Para mim, ir ao hipermercado comprar uma lâmpada é sinónimo de trazer para casa, pelo menos cinco variedades de bolachas e...a lâmpada, também. Houve uma pequena melhoria depois do verão, mas que se inverteu a partir do momento em que decidi estudar de novo, em que passo horas em frente ao computador sempre a roer algo e em que desenvolvi, de novo, um nervoso que apela à ingestão compulsiva de comida. Fiz uma tentativa para fazer ginástica e quase que impressionava ao inscrever-me nas diversas modalidades: aerodancing, hidroginástica, tai-chi...uma a uma foram sendo desmarcadas, mas mantenho a inscrição no ginásio porque a fé é o que nos move, e por isso conto, pelo menos em 2009 retomar o tai-chi....já nem falo da dieta, porque essa definitivamente não sou capaz. A ficar magra só com um desgosto de amor...

6. E por falar em amor...desejei para 2008 um namorado.É engraçado que algumas mulheres devem desejar verem-se livres dos namorados e eu peço um. Um homem simpático, bem-disposto, inteligente, bonito, e convertível em marido....mas se calhar exagerei nos critérios.Ou então este desejo é também para a vertente dos milagres. É que o principe não apareceu e aqui a Cinderela já há muito que se transformou em abóbora.Ou então está tudo ocupado...confirmando a velha teoria das sanitas. Ou então é impossível encontrar alguém sem se ter uma vida social muito activa. Descansem os que pensam que poderei recorrer, no futuro, aos serviços do Amore nostrum...Não, não...para 2009 renovo o mesmo desejo.

7. Desejei viajar...e aqui 2008 foi generoso. Contam-se ás dezenas, as vezes que andei na A1 e na A27(??), até aderi à Via Verde, imagine-se. Mas também não posso exagerar, consta no rol uma ida a Praga, que foi, sem dúvida uma praga bem rogada, a avaliar pelos acontecimentos da viagem e uma semana na Costa Alentejana. Não me satisfaz. Para 2009 desejo a viagem a Barcelona e, pelo menos, uma ida a Lisboa.

8. Desejei ser uma pessoa boa, para mim e para os outros...ui, aqui se os outros falassem não sei se a coisa correria muito bem. Entristece-me muito a frieza que às vezes transporto, mas para isso o desejo para o novo ano é de reconciliação comigo mesma, de procurar também a paz interior, de cultivar tudo o que de bom possa existir.

Bem...por esta altura já devia estar fartinha das uvas passas e já estava perdida na contagem...nunca consigo acompanhar as doze badaladas com as doze passas. É que para mim comer as passas é como tomar comprimidos, nunca é à primeira tentativa.
E depois perco-me nos desejos... e não faço projectos...não vale a pena. O melhor é aceitar o que 2009 oferecer, ou melhor, construir um 2009 perfeito.

Mensagens populares deste blogue

Do mar de Santa Cruz, com Berlim no pensamento

O senhor Rui

O dia de hoje naquele outro dia