Cabaninhas, Mixões da Serra






Segue-se em direcção a Terras de Bouro e depois não sei muito bem por onde se chega a este paraíso, entre vales recortados que têm os pássaros e o riacho como som de fundo.
A casa fica isolada, junto a uma pequena estrada que liga povoações esquecidas, paradas no tempo, onde não se respiram preocupações.
Um sossego profundo, uma partilha com a natureza inesquecível, apenas rasgado pelas gargalhadas e conversas do grupo que tem nestas paragens uns dias para descansar, aproveitar para pôr trabalhos em dia, ver filmes, caminhar e simplesmente não fazer nada. E não há tédio que se atravessa na beleza deste lugar.
É a segunda vez que venho cá e cada vez mais gosto deste lugar, pela tranquilidade que nos dá.
Hoje acabam-se os dias de chinelos de dedo no pé...








Mensagens populares deste blogue

Do mar de Santa Cruz, com Berlim no pensamento

O senhor Rui

O dia de hoje naquele outro dia