A galeria...

Cheguei há minutos...
Fui comprar um livro e trouxe dois e ainda me queriam impingir o cartão de cliente...Não fui capaz...a conta que paguei dava para comer durante um mês e pagar as minhas viagens ao Norte.
Ninguém imagina o prazer que me dá comprar um livro. Mesmo que nunca o venha a ler.
Acho, e posso dizê-lo, que é um luxo que tenho. Dos poucos...
E depois ainda dei um salto ao meu café preferido...porque bebo lá o melhor chá do mundo...pronto, é igual a tantos outros, mas sabe-me bem...mais ainda quando ainda podemos espreitar algum tipo de arte...hoje bebi o chá a olhar para um quadro com latas de atum cravadas na tela e pintadas de várias cores...interessante.
E mais interessante é ver Santa Clara com luz....o espaço envolvente está lindo, pena eu ter deixado a máquina em casa.
E foi bom estar ali 15 minutos, eu e a solidão, a sorver uma vida de saudade e lamentar outra tanta de tristeza...porque vivi ali bons momentos com pessoas que nunca mais vi, com as quais nunca mais falei...não por imposição de distâncias ou de vidas diferentes, mas por zangas, rancores e maledicência...
E não ousei sequer subir à cidade, porque a fazê-lo gostava de ter combinado alguma coisa com as poucas pessoas que lá me restam...mas, acima de tudo porque sinto um aperto, um sentimento que me rouba a serenidade, porque há-se ser sempre "Coimbra dos amores e da saudade".

Comentários