A propósito do tal poema...

São factos....
Verdades errefutáveis...
Tenho hábitos profundamente enraizados...odeio que as coisas não corram de feição e não possa fazer o que estava previsto porque algo correu menos bem e eu tive 100% da culpa...
Vou quase sempre pela mesma estrada...almoço sempre nos mesmos sítios...sozinha de preferência, não mudo de roupa de ano para ano, mas já tenho duas peças de cor vemelha, o que, há anos era impensável...prefiro preto no branco e pontos nos "is" mas nem sempre sou capaz de devolver na mesma medida...
Tenho receio da paixão e preocupam-me as emoções negativas...
Quase nunca viro a mesa no trabalho e sou muitas vezes passiva demais...já arrisquei mas fui perdendo garra, procuro apenas conselhos sensatos e não consigo dar nem um com pés e cabeça.
Viajo pouco e o que leio de nada me serve...
Se o amorpróprio resistir vou achar graça e odeio pedir ajuda quando sinto que sou mesmo muito, muito limitada...e odeio quando os outros pensam o mesmo e dizem o contrário...
Já abandonei projectos e adio outros tantos...
Gosto de perguntar mas não gosto que me respondam por obrigação...Respondo sempre mesmo que seja um "não sei"...

Vivo lentamente morta!

Mensagens populares deste blogue

Do mar de Santa Cruz, com Berlim no pensamento

O senhor Rui

O dia de hoje naquele outro dia