"Temos que ser duros"

Pedro, este é para ti...
Dizias muitas vezes com o teu sorriso malandro "Temos que ser duros"...
Pois temos...
Mas não o conseguiremos ser para viver com a tua ausência, com a distância ainda mais alargada do teu riso, da tua alegria, da energia com que vivias e arrastavas os outros...e todos te seguiam, era fácil, sempre foi fácil...
És amigo, és companheiro, és a disponibilidade, a humildade, a simplicidade, a ramboia, a diversão, a gargalhada, a aventura, o desprendimento, a folia, o humor, a alegria, a farra, o associativismo, o trabalho, a solidariedade, a paixão, as noitadas, as anedotas, a comédia, o riso...és o 27 ou o 36, o que quiseres...és tu e isso basta-nos. És porque ficas dentro dos nossos corações. Levaste um pouco de nós, mas nós também ficamos com um pouco de ti. Um pouco que é muito...muito mesmo...
Ficamos nesta suspensão de um dia nos encontrarmos e ver que por aí já organizaste caminhadas, passeios, já fizeste cartazes malucos a anunciar o mais tolo dos carnavais celestes, já brindaste e já puseste tudo bem disposto e já acampaste por tudo quanto é sítio. E se dúvidas ou hesitações ouverem basta-me recordar-te.
Vou continuar a pensar que te vejo poucas vezes fruto da minha distância, não da tua. Mas seguirei as setas...

Comentários