Dá-me um abraço

Porque me perco na saudade...
No papel que está colado na parede...
Nas fotografias, nos recortes de palavras...

Porque a soma dos dias não é mais a mesma...
Porque o tempo ganhou outra dimensão...
Porque um abraço vinha mesmo a calhar...


"Dá-me um abraço que seja forte
E me conforte a cada canto
Não digas nada que o nada é tanto
E eu não me importo

Dá-me um abraço fica por perto
Neste aperto tão pouco espaço
Não quero mais nada, só o silêncio
Do teu abraço

Já me perdi sem rumo certo
Já me venci pelo cansaço
E estando longe, estive tão perto
Do teu abraço

Dá-me um abraço que me desperte
E me aperte sem me apertar
Que eu já estou perto abre os teus braços
Quando eu chegar

É nesse abraço que eu descanso
Esse espaço que me sossega
E quando possas dá-me outro abraço
Só um não chega"

(Miguel Gameiro)

Comentários