Memória

De quando em vez assaltam-me a memória bocados de histórias, episódios com pessoas que nunca mais voltei a ver, coisas sem significado nenhum mas que,avivam esta certeza de que, se algum dia, viver uma velhice prolongada um dos meus problemas será a memória (ou falta dela).
Hoje, por exemplo, e a propósito de nomes lembrei-me de uma senhora que toda a vida me chamou Fernanda, ou Nanda como ela assim entendia...Até hoje a senhora ficou escondida algures muito para além do tempo em que eu subia a ladeira perto da casa dela e a via à janela. E um pequeno detalhe devolve-a à nitidez das imagens.
Faço um esforço tremendo para me lembrar das histórias e personagens dos livros que li mais recentemente, dos filmes já nem se fala e se me perguntarem o que dava na televisão há uns anos atrás não me irei lembrar de muito mais para além do Telejornal, da novela Tieta, do Vitinho e do Natal dos Hospitais. É pouco? Pois é...e reconheço que mesmo isto que hoje me lembro vou esquecer não tarda.
E se me voltar para matérias da escola e da faculdade nem se fala. Parece que um imenso aspirador levou tudo, incluindo as horas que se gastaram a empinar assuntos e temas que se varreram minutos depois dos exames de avaliação.
E continua a senda...
Não admira pois que os sobrinhos me mostrem livros da escola e eu já nem reconheça as histórias, as aventuras e os enredos...
Espero que haja sempre um detalhe a devolver à imagem algo adormecido...mas só para as coisas boas!

Comentários