Do dia...

Foi mais ou menos assim. Acordar às 08h00 e perceber que a Tortellin com espinafres da noite anterior continua na memória do meu estômago, mas nada que me tire a vontade do leite com café. Ainda mora por aqui a regueifa com canela que combina muito bem com doce de morango. Hum…!
A chuva brinda-me mal ponho o pé fora da porta e por isso a volta é pequena. Em casa procuro separar papeladas e mais papeladas. Boa parte já foi para o lixo. O armário da roupa teve a mesma sorte. E bem que a podia levar toda para o contentor, mas ficaram alguns trapos, quase todos possíveis de classificar como autênticas peças vintage.
Depois disto descubro que um negócio rentável é uma lavandaria. Nem quero fazer contas ao que paguei!
Passo pela padaria e rendo-me ao pãozinho fresco para o almoço. Almoço que acabo por saltar em refeição quente pois perco-me no chão da sala a ver os papéis e a tirar as sortes dos que ficam e dos que serão reciclados.
Sento-me no pc. Apetece-me escrever-te meu amor. Mas as palavras não estão tão destravadas quanto o meu pensamento a imaginar-te em voltas de passeio que gostaria de fazer contigo. Distraio-me.
Decido que vou sair e comprar uns sapatos. Só porque sim. Porque vendo bem a caixa do calçado só lá tenho sapatilhas. Eu combino com o quê? Que falta de gosto!
Rumo a Aveiro e volto num ápice. Havia mais pessoas no Shopping do que em Fátima, aos dias 13. E é aqui que me lembro da nossa tradição de Páscoa. Por esta hora, em todos os anos que se passaram andava, provavelmente, de joelhos doridos, dedos num farrapo e a cheirar a lixívia da cabeça aos pés. Tudo porque um dia de aparência valia por mais do que 364 de falta de limpeza e desleixo.
É desta que vou trabalhar um pouco. Sento-me e reciclo um questionário. Não me parece mal e envio para revisão. Não saio das 14 páginas mas reformulei o texto. Continuo a considerar que está muito denso e pouco objectivo. Apercebo-me que o tempo vai encurtar velozmente e o meu interesse por isto não aumenta, diminui.
Escrevinho e leio. Ponho música. O cd do Robbie deixou de dar, cansou.
Ligas-me. Que bom ouvir-te! Ai como gostaria de fazer parte do teu dia mas presencialmente!
Tomo um banho. Ficava ali mesmo, imersa em água quentinha! Agora vou fazer chá!

Comentários

  1. O CD do Robbie voltará a dar, um novo, meu, nosso.
    Fazes-me sonhar amor, fazes-me esquecer de quem sou para ser só alma!
    Um beijo muito grande meu anjo

    ResponderEliminar

Enviar um comentário