Estou só à espera que a bateria da máquina fotográfica carregue. Não sei para onde vou mas com este sol em casa não fico. Lá fora passa a procissão da Páscoa com a banda a tocar...e penso que é impressionante como a nossa vontade própria prevalece sempre aos costumes, à educação que recebemos, à cultura onde nos inserimos. Digo isto porque anos a fio cresci com as obrigações da igreja, com as idas à missa, com a catequese e hoje é domingo de Páscoa e nem a talha da igreja mais próxima vou ver. Nada deveria ser mecânico, nem mesmo as orações!
E é curioso a importância que as pessoas dão aos momentos festivos. O Natal ganha aos pontos. Sempre, quer-me parecer.

Comentários