Psicologia da Marquesa

Cabeleireiros, Esteticistas, massagistas, fisioterapeutas… Deve haver um sem número de profissões que têm a sua componente de psicologia, numa vertente que vai muito para além da psicoterapia…
E enquanto isto, nós, prostrados onde recebemos os serviços desta gente respondemos a um interrogatório, ouvimos opiniões, sabemos da vida da sociedade mais próxima e, com sorte, não temos de fazer inferência alguma sobre tudo isto…

Esteticista: E já conheces Lisboa? E já foste ao bairro alto? E já jantaste na Casa do Alentejo? E já foste ver a exposição no Turismo de Sintra? E já foste ver algum espectáculo no Centro Cultural? E já foste ao Urban? E já conheces a esplanada não sei das quantas….

Eu: não (bis)

Esteticista: e estás a gostar? E quanto tempo vais estar aqui? E tens cá família? Tens que conhecer Lisboa e vais ver que nunca mais queres sair desta zona…mas ainda não conheces nada, assim não pode ser, assim a vida é muito vazia...

Eu (em pensamento): Mas o que é afinal não ter uma vida vazia? É ir a estes sítios todos, conhecer muita gente, ver tudo, tudo e depois? Já não temos uma vida vazia? Se assim fosse...


E enquanto penso nisto penso no meu dia…andei, andei, a borboleta não teve descanso e depois caminhei e li ao mesmo tempo…perdi-me pelo centro de Cascais, pelas pequenas ruas, cheias de turistas, comprovei a enorme fila da gelataria Santini, vi as pessoas na praia, ouvi os artistas a fazer o sondchek, pensei em ficar por ali, jantar num dos imensos restaurantes que nos brindam com aquele cheirinho a peixe (por falar nisso ainda este ano não comi sardinhas assadas e isso não pode ser), ver o concerto do Reininho, sentir o fresco da noite, ver a lua no mar e vaguear, vaguear...mas rendi-me ao cansaço…

Vaguear, vaguear...

Comentários