Outono

Faz tempo que o Outono não me devolvia as suas cores tanto como agora.Nos últimos meses a natureza rodeia-me e, desde o fim do verão, é quase impossível não reparar nas cores das folhas. É espantoso quando está sol e as cores amarelo e vermelho ficam ainda mais vivas, mas com chuva e temporal fica um manto de folhas pelo chão, voam e fazem do espaço um enorme retalho de cores lindas! Nestes dias de Outono não fico indiferente ao enorme arvoredo que me rodeia. E sou levada para as memórias do tempo da escola primária onde ficou aí parada a importância que se dava às quatro estações. E porque o caminho de casa para a escola se fazia a pé havia tempo para recolher folhas que caíam dos enormes plátanos para depois colocar a secar e fazer colagens, havia tempo para correr e arrastar os pés no montão de folhas que se acumulava junto aos portões da quinta que ladeava o caminho, havia tempo para perceber que tudo aquilo era demasiado lindo para não se lhe dar importância. Havia tempo para chutar um ouriço das castanhas em todo o percurso desde o castanheiro grande até casa. E percebia que só podia fazer isso porque era Outono e em mais tempo nenhum brincava com as folhas daquela maneira, ou me eram pedidas colagens e composições sobre o tempo que vai das tardes de verão até ao frio de inverno.
E hoje o Outono devolve-me, pelo menos, a oportunidade de ver as suas cores.

**Faltam as fotos que podiam ser imensas houvesse tempo para caminhar na Serra e fotografar.

Comentários