Dos dias

E hoje esta coisa repete-se.
A coisa começa a assumir gravidade quando a minha mãe já vai a jantares comemorativos...
Jantares com grupos estéricos aos gritinhos, capazes de saltarem para cima da mesa  e despirem-se ao mínimo acorde musical.
E os sindicatos avançam com números....
Coitadinhas das mulheres representam a maioria da população desempregada e a maioria dos desempregados de longa duração.Há diferenças salariais, mesmo nos quadros superiores vejam só...
Sobre os números das desempregadas de longa duração devíamos, concerteza, distinguir desemprego voluntário de involuntário. E digo isto porque há uma realidade muito próxima que me permite observar uma pequena pontinha deste iceberg gigantesco.
Diferenças existirão sempre mas preocupam-me mais os números relacionados com as mulheres que morrem vítimas de violência, isoladas, no silêncio, sem capacidade de reacção que lhes devolva força para enfrentarem os agressores.

Mensagens populares deste blogue

Do mar de Santa Cruz, com Berlim no pensamento

O senhor Rui

O dia de hoje naquele outro dia