Reflexões

A minha mãe faz hoje 69 anos e diz-me que está velhota. E está. Tem rugas marcadas, o cabelo todo branco mas tem uma força como nunca vi. Em poucos minutos contou-me parte das agruras da vida que foi vivendo, enquanto rapariga solteira e durante os anos que se seguiram. Começa a revelar algum cansaço físico que vai sendo cada vez mais evidente.
A minha mãe diz-me que também os anos passam para mim e eu sei que sim. Já conto mais um desde o primeiro dia deste mês.
Viajar, escrever, amar, fazer coisas diferentes, ter um céu sem limites, adormecer sobre um luar luminoso, aprender a cozinhar, conhecer mundos, saborear manhãs e fins de tarde, encontrar vida em cada minuto.
Está tudo na lista de prioridades.

Comentários