Agradecimentos à parte...É Natal!

Hoje, no regresso do trabalho, reparei que, este ano, por estes lados Sintrenses as iluminações de Natal apesar de ainda não serem visíveis prometem tecnologia led em árvores gigantes, pelo que, lá se foram os meus comentários acerca das decorações foleiras nas rotundas e dos presépios lampejantes.
Cá em casa não há árvore, nem presépio mas a casa está cheia de brilhantes doirados, resultado dos trabalhos manuais na tentativa de "fabricar" um postal de Natal. O resultado foi perceber que cola e brilhantes poderão não resultar tão bem quanto o esperado e que o meu jeito para estas "artes" é nenhum. Não existe postal, mas a casa brilha! (Singularidades de uma rapariga morena que bem podia ser loira).
À parte da iluminação de Natal, das decorações, das compras, das campanhas de solidariedade que não têm fim (quer dizer, nos próximos 330 dias sim), dos doces que não vou fazer, da noite sem lareira, dos chocolates que ainda não comi mas espero comer (porque são os Bacis e os Ferrero tão caros???) dos sms,s todos iguais,bonitinhos e impessoais, dos postais que não vou escrever, do espírito desta quadra(ou da falta dele), das pessoas que ligam sempre e me fazem lembrar os tempos em que vivi em Aveiro (obrigada Sr. J.R.), da crença viva do meu afilhado (que tem 8 anos)no Pai Natal, das recordações das noites de Natal em que ficava sozinha na cozinha e dava conta de 2kg de amendoins acompanhados de champanhe foleira que era de vir às lágrimas, das memórias das festas de Natal da escola e da catequese onde sempre haviam teatros giríssimos e récitas de poemas fofinhos...
À parte de tudo isto, para mim o Natal teve sempre uma memória musical fortíssima.
E podia ser isso mesmo, só música.

Comentários