De Lisboa... ou de coisas que eu não fazia e agora faço

Ir à noite ao Bairro Alto ou ao Cais do Sodré, onde as ruas ficam imundas de garrafas e copos e povoadas de gente perdida e estranha.
E onde reina a folia, a animação, o excesso eu estou ali sem estar.

Mensagens populares deste blogue

Do mar de Santa Cruz, com Berlim no pensamento

O senhor Rui

O dia de hoje naquele outro dia