De Lisboa... ou de coisas que eu não fazia e agora faço

Ir ao teatro.
Em Coimbra olhava para o cartaz do Teatro Académico Gil Vicente e pensava na possibilidade de sobrar dinheiro ao final do mês para ver alguma daquelas peças. Só vi uma, não me lembro do nome, nem do elenco e da história. Sei que eram muitas irmãs. Não percebi absolutamente nada mas aquela experiência das vozes a ecoar no espaço, do palco despido de efeitos, de músicas e de tudo aquilo que a televisão e o cinema nos dão.

Comentários