A simplicidade das coisas


Tendemos a complicar, a evidenciar detalhes que, ora vamos pondo e tirando, conforme a circunstância quando, na verdade, o que importa é que pode não haver mais nada a seguir, ser tudo árido como o deserto. E valerá mais viver com pequenos nadas ou de grandes complicações sucessivas?

Mensagens populares deste blogue

Do mar de Santa Cruz, com Berlim no pensamento

O senhor Rui

O dia de hoje naquele outro dia