Ver é imaginar

Sempre que vou ao teatro apenas leio os flyers no fim. Para não definir ideias, para ficar ali na sala e tentar perceber o porquê do cenário, dos figurinos, da música, das expressões, do texto sem quebras, ali mesmo ao vivo!
E não raras as vezes saio, leio os pequenos textos descritivos e penso que sou tão terra a terra. E ver também me faz imaginar, mas para mim uma maçã é uma maçã, tristeza é dor e grito é raiva. E depois, de ler os textos e refletir é como se preenchesse todo um puzzle.
Talvez por isso um "artista seja um artista" e às vezes não nos conseguimos transportar para esses patamares de abstração, de conhecimento, interpretação ou vivência.
E mesmo que me interrogue sobre os diálogos e saia porta fora "perdida" vou imaginar algo que para mim faça sentido.

Comentários