Agora mesmo, desse lado

Se algum dia puderes ler isto quero que saibas que neste momento não consigo sequer concentrar-me para ler os artigos que tenho à minha frente. Porque estou numa excitação tão grande, num estado de ansiedade à espera de receber desse lado a mensagem "nasceu e está tudo bem". Porque é sempre nestes momentos que sabemos que a vida nos pode dar uma grande volta e que não há ciência, tecnologia ou pessoas que façam milagres. E penso na fragilidade. Não encontrarei história como a tua e dificilmente não viverei uma assim, tão intensa. Se hoje nascer a Maria, daqui a alguns tempos quero que ela saiba por mim que tem a melhor mãe do mundo, uma pessoa generosa, uma Amiga que desde o primeiro dia me cativou pela simplicidade, pela calma, descontração e energia. Nunca irei conhecer alguém que fizesse tantos programas de uma só vez, tantas viagens, atividades e que sempre me empurrou para sair, para não me fechar quando os momentos que atravessei não eram os mais fáceis, para conhecer Lisboa. Para não perder vida e tempo. Pela mão dela conheci as pessoas que tenho cá e que ficarão para sempre. Por isso pequena Maria, espero que venhas com o sorriso aberto da tua mãe,que sempre nos desarma, com a boa disposição e com essa dose de doidice que vai fazer de ti uma mulher muito mais feliz. E que sejas amiga como a tua mãe o é, boa confidente, encorajadora e uma mulher de coragem.

Comentários