Espera

Naquele momento em que atravesso a passadeira, espero pelo elevador e faço uma revisão de tudo o que sou até aqui. Sem filtros, sem parêntises, sem objetivas.
E por mais que repita este processo os nervos não diminuem e na volta é um vazio e uma sensação de tempo falhado.
Porque não há maior derrota do que sermos vencidos por nós próprios.

Mensagens populares deste blogue

Do mar de Santa Cruz, com Berlim no pensamento

O senhor Rui

O dia de hoje naquele outro dia