Perguntas para as quais não quero resposta #1

Pode o arroz ser cozido dentro de um saco de plástico e imediatamente passado por água fria? Assim, sem o "estrugido", sem a cebola, ou os oregãos? Assim...arroz para pássaros? Tudo o que possa fazer para contrariar as instruções de cozedura vai correr mal. Isto está mesmo formatado. E as trinta mil qualidades de arroz, agulha, basmati, extra-longo onde foram parar?

É possível ter algum dia de ingerir Calgon para retirar o calcário desta água que bebo? Cabelo, pele, roupas e tudo por onde passe esse bem da natureza fica com a dureza de uma lixa.

Posso algum dia não pensar que as empregadas do supermercado não estão chateadas e de mau humor e dizem grandes ordinarices entre dentes quando me perguntam algo que não sei responder porque simplesmente não compreendo o que me estão a dizer? Sabem, porventura, estas pessoas que a emigração existe e eu tenho muito mais em que pensar do que decorar palavras com oito consoantes seguidas? Saberão algum dia o que é serviço/atenção ao cliente ou algo do género?

Pode esta gente alguma vez convencer-se que as idas ao solário não lhe  faz bem, saem com um ar tostado e que poderiam ter o mesmo efeito se metessem a cabeça dentro de um congelador porque o ar rosado seria o mesmo?

(to be continued)





Comentários