Aos 33

Sonho com uma casa com jardim e um pinheiro manso. Não é uma piscina. É um pinheiro manso como existe em todas aquelas casas que conheço e que sempre me suscitaram mistério, curiosidade e uma sensação de que escondem interiores de conforto. As casas dos pinhais, casas de praia, à beira mar ou à beira rio.
Vejo-as na foz do Rio Neiva, no pinhal de Ofir ou na marginal de Esposende, no caminho para a praia das maçãs em Sintra e em tantos outros sítios que já visitei.
Não é pelas casas, é pelo pinheiro manso que me transmite longevidade, serenidade e robustez.  E é isso que quero para os meus 33 e para a minha vida também.

Comentários