#06/06/2015 Formigas

Seis do seis. E penso em 2016. O que estarei a fazer? Esta mania de pensar no tempo, na vida, nas voltas da existência ou, da falta dela.
Está calor, muito calor!
Picam-me as calças nas pernas. Pela primeira vez sinto o bafo quente e vejo o calor ao fundo. Sim, naquele pequeno tremor desfocado que nunca sei descrever mas que me lembra asfalto a ferver.
À minha volta todos querem o melhor lugar ao sol em todo o parque. Eu quero a sombra. Eu e as formigas que insistem em subir e descer do copo que poisei a meus pés. Desisto. Que mergulhem, tal como eu mergulho nos meus pensamentos, ora dispersos, ora destinados ao livro que leio.

Mensagens populares deste blogue

Do mar de Santa Cruz, com Berlim no pensamento

O senhor Rui

O dia de hoje naquele outro dia