Incondicional

Podia ser amor, amizade, alegria, tristeza, medo ou rebeldia.
Sem regras, sem medidas, sem limites, nem traços que fechem a geometria do que sentimos, do que vivemos, daquilo que precede esta palavra. Ou que venha depois.
E que medida será a das emoções, dos sentimentos, para ti, para mim, para cada pessoa?
Não é o incondicional que me importa. É o que está antes ou depois.
Um abraço, um desejo, um elogio, o esvaziar de cada palavra que ali coloques e que dela sorvas o limite do que for a tua condição, ou de outro alguém.
Incondicional é não limitar, mesmo quando sabemos que as palavras são livres, tanto ou mais do que delas sabemos. Ou queremos que elas sejam.


Mensagens populares deste blogue

Do mar de Santa Cruz, com Berlim no pensamento

O senhor Rui

O dia de hoje naquele outro dia