Óbidos

A muralha abraça as casas brancas, caiadas com rebordos de azul e, às vezes com bougainvilleas, a trepar ou a descer junto das janelas e portas pitorescas. 
Multiplicam-se as lojas com lembranças que retratam em sabores, ou na cerâmica, a vila, a vizinha Lisboa e os arredores que são, no fim de contas, Portugal.
As igrejas e as mercearias estão agora forradas a livros e ficaríamos ali horas a desvendar segredos, tantos quantos guardam as pedras da calçada das ruelas que fazem da Vila um labirinto.

O Senhor Jesus da Pedra está ao fundo, envergando a tristeza do dia chuvoso e de quem fica sempre do lado de fora da muralha.


Comentários