#rio2016 - III

As pernas reclamavam movimento depois de tantas horas a voar. O verde das montanhas e os rios estavam cada vez mais perto e eu confirmava assim ser possível sobreviver a um voo de longa distância.
O bafo de ar quente na saída do aeroporto era a amostra de um Outono diferente.
O trajecto desde o centro da cidade até ao Leblon é feito com a lua bem redonda e vermelha no horizonte prendendo toda a atenção, roubada apenas quando o taxista aponta entusiasmado para o Corcovado.
Até estarmos sentados no boteco Jobi é pouco o tempo porque a noite já vai longa e a picanha e a caipirinha reclamam o seu turno.
Na rua há a animação suficiente de um Bairro Alto mas com mais música, mais ritmo e mais alegria. E seria assim, nas rodas de Samba do Rio Scenarium, em duas noites sem desculpas para dois pés esquerdos e muita falta de jeito.




Comentários