quinta-feira, janeiro 12, 2017

Cavacas e pessoas

Chegaram hoje.
Espero-as abençoadas pelo santo casamenteiro, para uns, ou curandeiro para outros. Se forem portadoras de milagres, ambas as modalidades são aceites.
Até chegarem a Lisboa, poderiam ter servido como paga de alguma promessa e serem lançadas do cimo da capela, em sinal de tributo, culto e veneração. Não seriam estas, mas outras maiores.
Mas isto não é sobre cavacas. É sobre pessoas e sobre a pessoa que mas enviou - o Sr. João Reis.
Tenho por ele, desde há 13 anos, uma grande estima e admiração  e essa passagem comum por uma das maiores empresas de cerâmica portuguesas.
E foi ele, sem que alguma vez o tenha percebido, que me mostrou a importância de conhecermos as pessoas pelo nome, de darmos a atenção aos reais problemas de cada um e aos desabafos que vão intercalando a produtividade e o desânimo geral. 
Eu estava na faculdade e, de certo modo, ainda acreditava nessas teorias bonitas e arrumadinhas ou nesse cunho romântico da gestão de talentos que veio abulir a peste negra do que não soava a moderno
Mas, na prática, as verdadeiras histórias, sucessos, fracassos, lutas, reestruturações, e aprendizagens estavam naquelas pessoas que encontrei e que fizeram a história maior dessa empresa. E a minha também.
Afinal isto é sobre cavacas, pessoas e gratidão!
Obrigada, Sr. João!!!


#aveiro #saogoncalinho #aleluiaceramicas




Sem comentários:

Enviar um comentário