Tutti e nada

O vento frio faz esvoaçar as capas de plástico dos turistas arrepiados. E leva as palavras de entusiasmo e os gritinhos das crianças tão longe quanto está o nevoeiro que não deixa ver o resto da paisagem. O resto é tudo! Tutti! Porque oiço a doçura do italiano.
E estes que partem daqui, vão sem uma grande parte. Aquela que eu já vi. O verde de sol. Que é mais pujante e mais desafiador ao azul do mar. 
Nos locais que visitamos e que nos assombram de beleza deveríamos ter a oportunidade de os ver com sol e com chuva. Em tudo que é belo e profundo nada nos deveria escapar.

Cabo da Roca - 08.07.2017

Comentários