La Paloma


Ele escreveu assim:

"A primeira vez que ouvi Tania Libertad tive a revelação das alturas de emoção a que pode levar-nos uma voz nua, só diante do mundo, sem qualquer instrumento a acompanhá-la. Tania cantava a capella La Paloma de Rafael Alberti, e cada nota afagava uma corda da minha sensibilidade até ao deslumbramento".

Está na página 199, na data de 29 de Outubro, naquele que é o seu último diário.

Não encontrei essa voz nua, sem instrumentos, de que nos escreve o Saramago e seria impossível senti-la como ele a ouviu. Porque a música descobre-se em cada momento e depende de nós próprios. Uma mesma canção, com a mesma letra e a mesma melodia abrirá mundos diferentes para aqueles que a ouvem. 




Comentários

Mensagens populares deste blogue

As pérolas

Todas as coisas maravilhosas

A F.