"Não sou nada.
Nunca serei nada.
Não posso querer ser nada.
à parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo".

Fernando Pessoa

Comentários

  1. Ninguém pode ser nada
    Porque nada não existe.
    E mesmo de madrugada
    O Mundo dos sonhos persiste.

    Também tenho todos os sonhos do mundo...

    Bjokas

    ResponderEliminar
  2. como prometido cá vai...

    SONNET

    "Could I say what I think, could I express
    My every hidden and too-silent thought,
    And bring my feelings, in perfection wrought,
    To one umforcèd point of linving strres;


    Could I breathe forth my soul, could I confess
    The inmost secrets to my nature brought;
    I might be great, yet none to me hath taught
    A language well to figure my distress.

    ...



    All that I think and feel, and so wake
    The World; but I am dumb and cannot sing,
    Dumb as yon clouds before the thunders break."

    Alexander Search


    E muito bonito, vais ter que ter um dicionário á mão, lol

    Tambem ando numa de poesia, ainda não publico nada, uso a dos outros.

    A tua amiga, acho que se chama flavia, é que ja podia escrever um livro..

    ResponderEliminar
  3. Lol
    Era preciso que houvesse quem o comprasse... Mas eu gosto de escrever de borla :)

    ResponderEliminar
  4. amiga Nela, devias consultar o teu consultor literário! (eu, pois claro!) Não foi Fernando Pessoa que escreveu esses versos! Não vês que têm sentimento a mais para o Fernandinho?! Foi o hiper-sensível Álvaro de Campos... a primeira estrofe de "A Tabacaria"...

    (Come chocolates, pequena;
    Come chocolates!
    Olha que não há mais metafísica no mundo senão chocolates.
    Olha que as religiões todas não ensinam mais que a confeitaria.
    Come, pequena suja, come!
    Pudesse eu comer chocolates com a mesma verdade com que comes!
    Mas eu penso e, ao tirar o papel de prata, que é de folha de estanho,
    Deito tudo para o chão, como tenho deitado a vida.)

    Beijinho,

    André.

    ResponderEliminar

Enviar um comentário